Recanto vale verde

14 ago
A Relação Entre a Depressão e o Uso De Drogas |Dr. José Roberto Otoboni  
 

 

Pessoas que sofrem com depressão e outros transtornos psiquiátricos estão frequentemente expostos a desenvolver dependência de álcool e drogas.Neste post vamos entender como se dá essa dependência e como ajudar um dependente químico com depressão.

Sintomas como tristeza, ansiedade, angústia e desânimo, são aliviados com o uso de substâncias psicoativas (SPA) como o álcool, a cocaína e a maconha.

Dessa forma, um indivíduo sofrendo de um transtorno mental e comportamental, e que experimente uma dessas substâncias, sente um alívio dos sintomas e tende a desenvolver este hábito, e consequentemente isso o leva a dependência.

Entretanto, o uso de substâncias psicoativas promove um alívio temporário, e cessado seu uso, os sintomas voltam com maior intensidade. Pode haver um momento onde o indivíduo use a droga para lidar com os efeitos negativos causados pela abstinência.

Este uso repetido, caracteriza a dependência, situação aonde o indivíduo perde o controle do uso e não consegue mais evitá-lo.Neste estágio, o diagnóstico de depressão é difícil, pois se confunde com os sintomas da dependência, e o risco de suicídio passa despercebido para a família e até para o próprio paciente.

Como as drogas agem no organismo de um paciente com transtornos mentais e comportamentais

 

Depressão e uso de álcool – o álcool age como um depressor do sistema nervoso central. Aumentando o risco de suicídio. Além disto, sintomas parecidos com o da depressão surgem na síndrome de abstinência, prejudicando o diagnóstico.

Depressão e uso de drogas estimulantes – devidos aos efeitos eufóricos dos estimulantes, como a cocaína, eles tendem a ser usados com maior frequência entre os depressivos, como uma automedicação. Porém, após o efeito eufórico, há um grande período de depressão, levando a piora da depressão de base e a reincidência no uso.

Depressão e uso da maconha – a depressão é mais comum entre pessoas que usam maconha, piora a depressão pré-existente, desencadeia e piora o curso da esquizofrenia, dos transtornos de ansiedade e de síndrome do pânico.

 

Depressão e uso de Drogas: números comprovam a relação perigosa

 

O índice de pacientes dependentes químicos e transtorno mentais e comportamentais (TMC) varia na literatura (de 30 a 70% dos indivíduos), porém é consenso que a dependência química piora os transtornos mentais e comportamentais que levam ao uso de substancias psicoativas.

Também são maiores as dificuldades no diagnóstico e tratamento, pois este grupo de pacientes tende a faltar mais ás consultas, abusar ou não usar as medicações, terem comportamento autodestrutivo, incluindo risco maior de suicídio.

Dependência química e depressão: diagnóstico e tratamento

 

Assim o tratamento para e transtorno mentais e comportamentais e dependência química é difícil e deve ocorrer simultaneamente. Na suspeita de dependência química ou de algum transtorno mental, uma consulta psiquiátrica deve ser agendada. O tratamento pode envolver internação e uso de medicamentos.

Como ajudar um dependente químico com transtornos mentais e comportamentais

 

A família e os amigos devem se envolver e apoiar o tratamento do paciente, procurar ajuda médica e atendimento profissional. Muitas vezes o paciente com transtornos comportamentais e dependente químico é tido como problemático, preguiçoso e sem motivação.

É preciso entender que tanto os transtornos comportamentais como a depressão e a dependência química são patologias que necessitam de tratamento médico. Essas doenças ainda são vistas com preconceito na nossa sociedade. E como primeiro passo é preciso se despir desses preconceitos.

 
 
 
Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
 
 

    Posts Relacionados